O uso do peeling químico no tratamento de manchas, rugas e cicatrizes

25 de outubro de 2019

O uso do peeling químico no tratamento de manchas, rugas e cicatrizes

Popular e muito recomendado para tratar manchas, cicatrizes e rugas, o peeling químico é um procedimento estético indicado para a remoção de danos nas regiões do rosto, mãos, colo e pescoço.

Continue lendo este texto e descubra em quais casos usufruir desse procedimento estético e quais cuidados tomar com a sua pele!

Os cuidados com a pele dizem muito sobre a beleza e saúde de uma pessoa. Tratar, hidratar e regenerar as células cutâneas são etapas que podem ser iniciadas dentro de casa, mas que, felizmente, contam com a ajuda de tratamentos estéticos avançados.

Em inglês, a palavra “peel” significa descamar e é através de aplicações de ácidos específicos nas áreas afetadas que essa descamação é realizada. Aos poucos, as sessões removem as camadas danificadas da pele, regenerando a saúde e a sua aparência.

Além de deixar a região mais lisa e saudável, o procedimento é muito indicado para quem busca o rejuvenescimento cutâneo.  Fora as ações diretas dos ácidos, esses benefícios ocorrem principalmente porque, quando realizado, o peeling propicia a produção de colágeno, que é responsável pela elasticidade da pele.

Mas, o que pode prejudicar a saúde da sua pele? Os danos e o envelhecimento são desencadeados pelo baixo cuidado básico e diário nas regiões afetadas, pela propensão genética ou então por exposição excessiva ao sol, temperaturas variadas, umidade, poluição, tabagismo, ingestão alcóolica e demais agentes constantes no dia a dia. Fique sempre atento aos fatores prejudiciais.

Os benefícios do peeling químico

Com um efeito e ação bastante rápidos, os resultados e benefícios do peeling químico já podem ser percebidos pelo paciente logo após a primeira sessão de tratamento.

Além da aparência da pele melhorar, a oleosidade diminui e a produção de colágeno, pelo organismo, é estimulada. O peeling pode contribuir para amenizar diversos problemas da pele, tais como:

Manchas na pele:

Melasma, sardas, manchas senis, olheiras

Sinais de envelhecimento da pele:

Rugas, linhas de expressão e flacidez.

Lesões e inflamações na pele:

Acne, danos decorrentes de exposição excessiva ao sol

Cicatrizes da pele:

Cicatrizes de acne, estrias e cicatrizes em geral

O uso do peeling químico no tratamento de manchas, rugas e cicatrizes. Acne.

Tratamento de manchas de acne através do peeling químico.

 

Como é possível observar, o peeling pode tratar diversos problemas ao mesmo tempo, sendo este um dos seus maiores benefícios!

Em casos de estrias, o procedimento estético é recomendado inclusive para as mais profundas, como as marcas deixadas pela gravidez.

O uso do peeling químico no tratamento de manchas, rugas e cicatrizes. Estrias.

Áreas comuns para aparecimento de estrias. Podem ser tratadas como peeling químico.

 

Já em caso de melasma, o tratamento é muito indicado porque apresenta resultado rápido e gradual.

O melasma é uma mancha pigmentada muito comum principalmente em mulheres adultas (entre 20 e 50 anos), ocasionada ou pela exposição constante e direta ao sol, alterações hormonais ou até mesmo pelo uso de anticoncepcionais.

Principalmente, pode afetar áreas como: lábios, nariz, testa e maçãs do rosto.

O uso do peeling químico no tratamento de manchas, rugas e cicatrizes. Melasma.

Uma das formas de tratar melasma é o peeling químico.

 

O peeling também é indicado para as olheiras. Porém, como existem diversos tipos de olheiras, é muito importante que o dermatologista as identifique, podendo assim, sugerir o tratamento adequado para cada caso.

O uso do peeling químico no tratamento de manchas, rugas e cicatrizes. Olheiras.

Olheiras tratadas com peeling químico

 

Os tipos de peeling químico

O peeling químico pode ser realizado em três graus diferentes: superficial, médio e profundo.

O peeling superficial é indicado para os casos de manchas mais simples, de uma forma geral. O médio é mais recomendado para o tratamento de rugas e acnes que apresentam um estágio um pouco mais avançado. Ambos os tipos de aplicações de ácidos são realizados na própria clínica estética.

Já o tipo profundo, beneficia diretamente cicatrizes variadas, marcas resultantes do envelhecimento (rugas e sulcos profundos) e peles muito danificadas pelo sol. Por se tratar de um procedimento de maior agressividade, requer maior cuidado e, ao contrário dos outros, só deve ser realizado em um centro cirúrgico, com a supervisão do médico especialista.

Rejuvenescimento de mãos, colo e pescoço

O envelhecimento cutâneo é uma preocupação para muitas mulheres – e até homens – principalmente em regiões de difícil tratamento como o pescoço, as mãos e o colo.

Nesses casos, o peeling pode ser um grande aliado também, pois o tratamento utiliza ácidos específicos para áreas mais sensíveis, finas e com poucas glândulas sebáceas, principalmente em decorrência da ação do tempo.

O procedimento estético permite a redução de manchas, assim como ameniza pontos de enrugamento e também o aspecto de ressecamento da superfície.

Se o paciente deseja ainda melhores resultados, quando o assunto é rejuvenescimento, outros tratamentos estéticos podem contribuir e são recomendados. São eles: Luz Intensa Pulsada, Microagulhamento com Dermaroller e Skinbooster.

Como cuidar da sua pele?

Hábitos mais saudáveis e cuidados diários podem contribuir para que as ações do tempo na pele sejam amenizadas. A hidratação do corpo e da pele é extremamente importante, já que o organismo é composto praticamente por água.

Mas, a pele ainda possui outras substâncias essenciais para seu funcionamento, como proteínas e gorduras. Assim, ela é composta por três camadas que devem receber a mesma atenção: epiderme, derme e hipoderme.

Outros fatores, esses considerados ainda de maiores riscos, podem prejudicar a saúde cutânea: o uso de drogas, o tabagismo, a má alimentação, o sedentarismo, além é claro, da própria predisposição genética da pessoa.

Descamações, envelhecimento, manchas, ressecamento e até mesmo cicatrizes podem ser evitados com cuidados diários, ou, com a ajuda de um médico de sua confiança.

Uso do peeling químico: alertas e contra indicações

O peeling químico é muito eficaz, porém requer cuidados específicos. Por utilizar ácidos durante o processo estético, o tratamento não pode acontecer em qualquer circunstância.

Ao realizar o peeling, o recomendado é que o paciente evite a exposição ao sol por 30 dias. Por isso, o inverno é indicado como a melhor época do ano para a realização do tratamento.

Pessoas que tenham feridas abertas ou vitiligo não devem aderir ao procedimento. Cada tratamento é único e o profissional irá definir os números de aplicações, tipos e profundidade, conforme o objetivo do paciente.

É muito importante que antes de recorrer ao procedimento, se procure um especialista para orientar sobre as contra indicações e quaisquer outras dúvidas a respeito do tratamento.

Se interessou? Então agende agora mesmo a sua avaliação com a Dra. Angélica Pacheco e descubra as maravilhas que o peeling químico pode fazer por você!

Venha conhecer a clinica e o melhor tratamento lhe será indicado.

Tratamentos Faciais
WhatsApp | Dra. Angélica Pacheco - Dermatologia Estética
WhatsApp
close-image