Manchas na pele: tire suas dúvidas sobre o Melasma

15 de dezembro de 2016

Manchas na pele: tire suas dúvidas sobre o Melasma

Dezembro chegou e o verão está próximo! É tempo de festas, férias, praia e piscina. E assim ficamos muito expostos ao sol. Não à toa, este é o mês dedicado à prevenção e ao combate do câncer de pele, que é o de maior incidência no Brasil e no mundo. Esta campanha recebe o nome de “Dezembro Laranja”.

Como já se sabe, a luz solar está diretamente relacionada ao envelhecimento precoce e ao aparecimento de manchas na pele e de outras alterações.  Entre as lesões que alteram a cor da pele, está o Melasma.

Para que você saiba um pouco mais sobre esta alteração muito frequente em nosso meio e que causa grande angustia em muitas mulheres, apresentamos respostas às perguntas mais frequentes em nosso consultório.

O que é Melasma?

Melasma é uma alteração na cor da pele caracterizada por manchas mais escuras do que a cor normal da pele do indivíduo que aparecem ao longo da vida. Essas lesões surgem porque uma célula presente em nossa pele, chamada melanócito, começa a produzir grande quantidade de melanina ao ser estimulada, por exemplo, pela exposição à luz solar.

O que é melanócito?

É uma célula muito especializada responsável pela produção de melanina.

O que é melanina?

A melanina é a substância que dá cor à pele e aos cabelos. Ela é muito importante na proteção das células da pele contra os danos causados pelos raios ultravioleta da luz solar, que podem levar ao aparecimento do câncer de pele.

Por que temos diferentes tons de pele?

O que determina a diferença na cor da pele dos indivíduos não é a quantidade de melanócitos que estão presentes na pele, mas sim a quantidade e o subtipo de melanina que o melanócito produz. Vários aspectos podem estimular o melanócito a produzir mais melanina sendo a exposição solar o principal estimulador.

Em que parte do corpo o Melasma pode surgir?

O Melasma pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas surge com maior frequência nas áreas do corpo que ficam mais expostas ao sol, principalmente a face e membros superiores. De acordo com a localização, o Melasma na face pode ser classificado em 3 padrões: centrofacial, malar e  mandibular. O padrão centrofacial é o mais comum atingindo a fronte (testa), bochechas, nariz, lábio superior e queixo.

Qualquer um pode ter Melasma?

Sim. Mesmo podendo acometer qualquer indivíduo, podemos definir algumas situações em que o Melasma é mais frequente:

  • as mulheres são mais acometidas que os homens;
  • é mais comum em latinos;
  • afeta mais as mulheres com descendência asiática, hispânica, africana ou do Oriente Médio e que vivem em regiões tropicais;
  • costumam ocorrer com maior frequência em mulheres jovens até meia idade.

O Melasma pode surgir a qualquer momento?

Sim. Mas existem duas situações em que o Melasma surge com maior frequência. A primeira pode ocorrer durante ou logo após exposição ao sol e outra durante o período gestacional.

O que causa o Melasma?

A causa real ainda não está totalmente definida, mas já se sabe que alguns aspectos estão relacionados ao aparecimento do Melasma. Entre eles:

  • exposição ao Sol;
  • predisposição genética, o que poderia explicar o aparecimento do Melasma em indivíduos da mesma família;
  • gravidez;
  • exposição a fontes de calor: sauna, secador, cozinha, lâmpadas, etc;
  • terapias hormonais (anticoncepcionais);
  • algumas drogas fototóxicas (tetraciclina, fenitoína entre outros);
  • cosméticos;
  • doenças autoimunes da tireóide.

O Melasma sofre alterações?

Sim. Ao longo do ano e do tempo pode-se observar alterações no grau de escurecimento das manchas. Durante o inverno as lesões podem clarear e durante o verão tendem a escurecer devido a maior exposição ao sol.

Quando surgem no período gestacional, em mulheres que apresentam pele com menor pigmentação, as lesões podem diminuir ou até desaparecer. Já nas mulheres em que a pele é mais pigmentada, as manchas podem permanecer.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito através de avaliação clínica.

Qual é o tratamento indicado para Melasma?

O tratamento do Melasma exige disciplina e paciência pois os resultados levarão algumas semanas para serem observados.

Faz parte do tratamento do Melasma:

  • uso de protetor solar, chapéu e óculos;
  • evitar exposição ao sol;
  • evitar exposição a fontes de calor: sauna, secador de cabelo, vapor de panelas, etc;
  • acompanhamento médico para prescrição de substâncias clareadoras, peelings, seriados, intradermoterapia e microagulhamento.

 

Você tem mais alguma dúvida sobre manchas na pele? Envie pelos comentários!

Venha conhecer a clinica e o melhor tratamento lhe será indicado.

Dermatologia Estética ,
WhatsApp | Dra. Angélica Pacheco - Dermatologia Estética
WhatsApp
close-image